Vale a pena ser profissional da saúde, beleza e imagem pessoal?

Oportunidades e motivos que encantam cada vez mais...


Diante da atual situação financeira do país e sua instabilidade política, é natural ocorrer uma espécie de movimentação no comportamento do mercado.


A situação pode ser aproveitada como um agente motivador, dependendo do ponto de vista e do posicionamento que se adota diante de uma crise.


O mercado da imagem pessoal e estética, por se apresentar promissor e oferecer diversas opções de carreiras, atrai olhares atentos de um público predominantemente feminino, pois possui características e atende necessidades que veem de encontro a solução de problemas rotineiros de mulheres que agregam responsabilidades profissionais a funções de mães, donas de casa, esposas, enfim, dependendo do modelo de trabalho que é adotado, pode facilitar a dinâmica das multitarefas assumidas rotineiramente.


Por diversos motivos, tem se tornado frequente a transição de carreiras para este mercado.

É comum encontrarmos nos cursos de capacitação profissional, mulheres que tem formação e carreiras já estabelecidas em outras áreas e, por necessidade pessoal, buscam realização e ousam explorar novas possibilidades.


Dentre os motivos mais comuns, podemos citar a introdução no mercado de trabalho por uma via cujo investimento em capacitação e materiais é relativamente baixo quando comparado a outras profissões, associado ao alto nível de satisfação, uma vez que a maioria das mulheres tem afinidade natural com a área.


Outro motivo, é a troca de profissão por conta de suprir a necessidade de autonomia na gestão da agenda a fim de conciliar a administração familiar com o meio de subsistência.


O fato de tornar possível a geração de uma renda, sem que haja necessidade de cumprir horários pré-estabelecidos e compromissos recheados de burocracia e cobranças, além de diversas formas de pressões, é outro motivo que sempre surge nas rodas de conversas sobre tal tema.


A desmotivação em carreiras em que não acrescentam satisfação profissional e pessoal, falta de reconhecimento é outro tema que permeia este setor.


Como especialista em educação profissional na área da saúde, beleza e imagem pessoal, ouço diversos depoimentos que são verdadeiros desabafos, o que torna a área uma espécie de “rota da solução”, pois possibilita autonomia, oportunidades de ganhos maiores, associação de tarefas simultâneas e controle e gestão de carreira.


Porém, como tudo tem um contraponto, algumas pessoas podem se enganar e achar que estão entrando em um mundo maravilhoso onde todos os problemas serão solucionados e não é bem assim, ocorre que é importante reconhecer qual o seu perfil profissional, e encontrar a melhor forma de criar um itinerário para a introdução neste mercado. Algumas pessoas podem ter a necessidade de atuar de forma autônoma e ser responsável pelo bônus e ônus inerentes a sua iniciação na área, outras podem entrar no mercado prestando serviços a estabelecimentos já consolidados e que proporcionam maior estrutura e consequentemente menor oscilação dos ganhos, equilibrando a balança com relação aos riscos e o custo/benefício.


De qualquer forma, as opções de atuação são diversas e atendem aos mais variados talentos, afinidades e formações, desde que haja empenho, espírito empreendedor e força de vontade.


Dra. Renata Franco

Fisioterapeuta Dermato Funcional e

Professora Especialista em Educação Profissional




5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo